Image hosted by Photobucket.com
25.1.08
 

Braga Jazz 2008!
Dias 6, 7, 8 , 14 e 15 de Março, no Theatro Circo de Braga.
Organização: Theatro Circo de Braga/ Município de Braga.
Direcção artística: José Carlos Santos.

> 6 de Março (22h00)
Orquestra de jazz de Matosinhos com Chris Cheek

Criada em 1999, com o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos, a OJM tem vindo a afirmar-se como uma das formações mais dinâmicas do jazz português, sob a direcção de Carlos Azevedo e Pedro Guedes. A partir de 2001 esta orquestra (que este ano se tornou a primeira formação portuguesa de Jazz a actuar no célebre Carnegie Hall de Nova Iorque, justamente com Lee Konitz) começou a colaborar com músicos de renome mundial, um projecto notável em que ao longo dos anos participaram músicos como Ingrid Jensen, Bob Berg, Conrad Herwig, Stephan Ashbury, Carla Bley, Mark Turner, Rich Perry, Dieter Glawischnig e Chris Cheek (parceria que deu origem a um CD editado pela prestigiada Fresh Sound). É precisamente com Chris Cheek, esse fantástico saxofonista norte-americano, que a OJM abre as portas do Bragajazz 2008, num concerto aguardado com grande expectativa.

> 7 de Março (22h00)
BassDrumBone
Ray Anderson
(trombone), Mark Helias (contrabaixo) e Gerry Hemingway (bateria e percussão)

O trio BassdDrumBone utiliza uma instrumentação pouco habitual com um som único. Um verdadeiro colectivo onde composição e improvisação estão condimentadas no ponto perfeito. Este trio actua nos palcos e todo o mundo há mais de trinta anos (o trio foi criado em 1977), sendo constituído por músicos de excepção como o enorme trombonista Ray Anderson (cinco vezes nomeado como o melhor trombonista do ano pela revista norte americana Downbeat), considerado por muitos como o melhor trombonista da sua geração, pelo contrabaixista Mark Helias e pelo baterista Gerry Hemingway, um dos mais famosos percussionistas do jazz actual.Com sete Cds publicados em 2005, o trio gravou o cd “The Line Up” para a editora portuguesa Clean Feed, trabalho altamente apreciado pela crítica europeia e norte-americana, que será apresentado em Braga neste certame.

> 8 de Março (22h00)
George Schuller “Circle Wide”
Donny McCaslin
(saxofones), Brad Shepik (guitarra), Tom Beckham (vibrafone), Dave Ambrosio (contrabaixo) e George Schuller (bateria)

Nascido em Nova Iorque, residente em Boston desde 1967, o baterista George Schuller estudou no New England Conservatory of Music, curso que finalizou em 1982. Nos 12 anos seguintes, encontrámo-lo como umas das figuras proeminentes do jazz actual tendo tocado com músicos tão distintos como Herb Pomeroy, Jaki Byard, Jerry Bergonzi, George Garzone, Mick Goodrick, John Lockwood, Ran Blake, Billy Pierce, Bruce Gertz, John LaPorta ou Hal Crook. Filho de uma das figuras mais controversas da música contemporânea (Gunther Schuller), George Schuller tem vindo a afirmar-se progressivamente na cena jazz nova-iorquina, tendo tocado e gravado nestes últimos 14 anos com músicos tão distintos como Joe Lovano, Lee Konitz ou Dave Douglas. O quinteto Circle Wide é um grupo de geometra variável, cujo último trabalho, a apresentar no Bragajazz 2008 joga em torno da esplêndida música do quinteto americano dos anos 70 do pianista Keith Jarrett, explorando temas como Survivors Suite, Rotation, Common Mama, e De Drums, numa abordagem fresca e criativa.

> 14 de Março (22h00)
John Taylor Trio
John Taylor (piano), Palle Danielsson (contrabaixo) e Martin France (bateria)

De terras de Sua Majestade, visita o Bragajazz 2008 o aclamado pianista J. Taylor, um dos melhores pianista europeus, com uma carreira e reputação irrepreensíveis, ao9 lado de figuras tão distintas como Kenny Wheller, Peter Erskine ou John Surman. John Taylor nasceu em Manchester em 25 de Setembro de 1942. Nos anos 70 forma o famoso trio Azimuth com a sua esposa Norma Winstone e Kenny Wheller. Nos anos 80 Taylor trabalhou com Jan Garbarek, Enriço Rava, Gil Evans, Lee Konitz e Charlie Mariano. J. Taylor participa habitualmente nos ensembles de Kenny Wheller, no quarteto de John Surman e no trio de Peter Erskine. Em 2002 criou o aclamado trio com os norte-americanos Marc Johnson (contrabaixo) e Joey Baron (bateria). Em 2004 formou outro trio com Palle Danielsson no contrabaixo (uma das figuras emblemáticas do jazz nórdico) e o jovem baterista britânico Martin France. Em 2006 foi publicado o cd “Angel of the presence” para a editora italiana CAM jazz com soberbas críticas um pouco por todo o mundo. Imperdível!

> 15 de Março (22h00)
Indigo Trio
Nicole Mitchell (flauta e voz), Harrison Bankhead (contrabaixo, violoncelo voz) e Hamid Drake (bateria)

Três dos músicos mais requisitados de Chicago, a saber, a flautista Nicole Mitchell (prémio “Rising star flutist” no ano 2006 pelos críticos da revista americana Dowbeat) o contrabaixista Harrison Bankhead e o aclamado Hamid Drake, bateria e percussão, constituem este surpreendente trio que pratica da música mais original feita nos nossos dias. Um som intenso, de grande intercomunicação dos três músicos, faz da arte do “Índigo Trio” um dos libelos da liberdade musical que orienta os nossos dias, sem descurar um olhar pela tradição. Os três músicos são cúmplices do movimento de Chicago AACM, produzindo uma música próxima de uma síntese do sentido dos blues do saxofonista Rahsaan Roland Kirk, da modernidade do flautista/saxofonista Eric Dolphy ou do etnocentrismo do flautista/saxofonista Yusef Lateef. Aguarda-se uma festa para os sentidos na versão da grande música negra.


 


<< Home
jazz, música improvisada, electrónica, new music e tudo à volta

e-mail

eduardovchagas@hotmail.com

arquivo

Setembro 2004
Outubro 2004
Novembro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Junho 2011
Maio 2012
Setembro 2012

previous posts

  • Ainda a propósito de Don Cherry (1936-1995) e da s...
  • Em 1969, Don Cherry, já profundamente embrenhado n...
  • Otherworldly Sun Ra...
  • Quentes e boas, na Smalltown Superjazz: PETER BR...
  • Fac-simile da primeira das 4 páginas de notas escr...
  • ALFREDO COSTA MONTEIRO :: ÉPICYCLE (Etude Records)...
  • Looop Volcanic Tounge Sound323 Second Layer Mimaro...
  • O Freedom of the City Festival – a festival of ra...
  • I am overwhelmed by the architecture of vibration...
  • Acabei a longa e interessante entrevista que Salim...

  • links

  • Improvisos ao Sul
  • Galeria Zé dos Bois
  • Crí­tica de Música
  • Tomajazz
  • PuroJazz
  • Oro Molido
  • Juan Beat
  • Almocreve das Petas
  • Intervenções Sonoras
  • Da Literatura
  • Hit da Breakz
  • Agenda Electrónica
  • Destination: Out
  • Taran's Free Jazz Hour
  • François Carrier, liens
  • Free Jazz Org
  • La Montaña Rusa
  • Descrita
  • Just Outside
  • BendingCorners
  • metropolis
  • Blentwell
  • artesonoro.org
  • Rui Eduardo Paes
  • Clube Mercado
  • Ayler Records
  • o zurret d'artal
  • Creative Sources Recordings
  • ((flur))
  • Esquilo
  • Insubordinations
  • Sonoridades
  • Test Tube
  • audEo info
  • Sobre Sites / Jazz
  • Blogo no Sapo/Artes & Letras
  • Abrupto
  • Blog do Lenhador
  • JazzLogical
  • O Sítio do Jazz
  • Indústrias Culturais
  • Ricardo.pt
  • Crónicas da Terra
  • Improv Podcasts
  • Creative Commons License
    Powered by Blogger