Image hosted by Photobucket.com
24.3.08
 
É difícil saber que processos empregam Mazen Kerbaj, Birgit Ulher e Sharif Sehnaoui para produzir os sons invulgares que se ouvem em 3:1, saída recente na Creative Sources (CS#110). Gravado em Hamburgo, Alemanha, em Junho de 2006, sabe-se apenas que os músicos utilizam trompetes e guitarra acústica. Nada mais. Por muito que possa parecer, não há adição de electrónica ou de quaisquer efeitos estranhos ao acto de tocar aqueles instrumentos. Fazem-no, é certo, do menos convencional e heterodoxo que se conhece. No caso de Birgit Ulher e Mazen Kerbaj, dois dos mais relevantes artistas da moderna música improvisada, além da aplicação de um vasto arsenal de técnicas que exploram as propriedades acústicas do instrumento considerado em toda a sua extensão, corpo físico interior e exterior, através do sopro, sorvo, sucção, gorgolejo, vocalizo e de tudo o mais que não é possível descortinar sem ver. Por vezes, parece ouvir-se um motor ou qualquer outro aparelho capaz de produzir vibrações contínuas, além da respiração circular, bem entendido, que sugerem figuras como o arrastar metálico de intensidade variável e toda uma série de impressões que remetem para uma intensa actividade em formas de vida alienígena. O mesmo se passa, com as devidas adaptações, com o trabalho da guitarra acústica. Sharif Sehnaoui só muito raramente dela extrai sons que se possam reconduzir a categorias que fazem parte da memória sonora do instrumento, àquilo que vulgarmente se identifica como tendo por fonte um cordofone com determinada forma e sonoridade. A panóplia de técnicas, das mais abrasivas às suaves em extremo, e as inusitadas formas de abordagem do instrumento, emparceiram com as dos colegas trompetistas, sendo virtualmente impossível atribuir com certeza o quê a quem. Nesta medida, há muito aqui que escapa ao entendimento do ouvinte comum, uma paleta sonora que surpreende quem ainda não esteja familiarizado com as novas correntes da música improvisada e os seus ousados planos criativos. A causa destes músicos é a invenção, não apenas de técnicas de execução e do alargamento do léxico instrumental, mas sobretudo de uma nova poética musical ancorada em sinais que estão para além dos limites que se reconhecem. É toda uma nova experiência criativa que, da aparente bizarria iconoclasta, nos transporta para um mundo ficcional em que é possível reconhecer vestígios do mundo natural e cultural que habitamos no dia a dia. Por tudo o que sugere e desperta, o trabalho do trio germânico-libanês, criado com desvelo e dedicação, emociona e estimula a imaginação, envolvência formada por uma miríade de pontos de luz. Recomendável, em especial a quem se interesse por modos fora do comum de produzir e organizar sons.

 


<< Home
jazz, música improvisada, electrónica, new music e tudo à volta

e-mail

eduardovchagas@hotmail.com

arquivo

Setembro 2004
Outubro 2004
Novembro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Junho 2011
Maio 2012
Setembro 2012

previous posts

  • Creative Music Works
  • Novidades na Creative Sources Recordings:(HAIL SA...
  • Ives Klein
  • Jess Rowland saiu em 2007 com The Shape of Poison...
  • VARIABLE GEOMETRY ORCHESTRA Galeria ZdB, Lisboa,...
  • con_cetta - sclerosis [zym019]
  • PEACE BE UNTO YOU: Art Ensemble Of Chicago feat. F...
  • Tom Waits, Waltzing Matilda (Tom Traubert's Blues)...
  • Matana Roberts - The Chicago Project (Central Cont...
  • A estreia da Exploding Star Orchestra, com We Are...

  • links

  • Improvisos ao Sul
  • Galeria Zé dos Bois
  • Crí­tica de Música
  • Tomajazz
  • PuroJazz
  • Oro Molido
  • Juan Beat
  • Almocreve das Petas
  • Intervenções Sonoras
  • Da Literatura
  • Hit da Breakz
  • Agenda Electrónica
  • Destination: Out
  • Taran's Free Jazz Hour
  • François Carrier, liens
  • Free Jazz Org
  • La Montaña Rusa
  • Descrita
  • Just Outside
  • BendingCorners
  • metropolis
  • Blentwell
  • artesonoro.org
  • Rui Eduardo Paes
  • Clube Mercado
  • Ayler Records
  • o zurret d'artal
  • Creative Sources Recordings
  • ((flur))
  • Esquilo
  • Insubordinations
  • Sonoridades
  • Test Tube
  • audEo info
  • Sobre Sites / Jazz
  • Blogo no Sapo/Artes & Letras
  • Abrupto
  • Blog do Lenhador
  • JazzLogical
  • O Sítio do Jazz
  • Indústrias Culturais
  • Ricardo.pt
  • Crónicas da Terra
  • Improv Podcasts
  • Creative Commons License
    Powered by Blogger