Image hosted by Photobucket.com
2.10.07
 

O Peter Brötzmann’s Chicago Tentet saiu há pouco tempo com dois volumes das suas American Landscapes (Okka Disk), discos que não desmerecem a atenção do público, tanto dos aficionados da brotzmania, como dos que ainda não descobriram o que de mais parecido há com uma erupção vulcânica, agora que se celebram os 50 anos da dos Capelinhos. O all star de Brötzmann, que está agora a comemorar 10 anos (é verdade, já lá vai quase uma década sobre o triplo The Chicago Octet/Tentet, que a Okka editou em 1998) agrupa improvisadores de ambos os lados do Atlântico (Chicago), com predominância, deste lado, dos nórdicos. Razoavelmente estável, a formação tem sofrido uma ou outra mudança de titularidade. Relativamente aos últimos desenvolvimentos do ensemble, no que diz respeito a American Landscapes, 1 e 2 – duas sessões ao vivo gravadas no escocês Stirling Jazz Festival, em 2006 – entrou o trombonista alemão Johannes Bauer para o lugar que costumava ser de Jeb Bishop, e o baterista Paal Nilssen-Love para o de Hamid Drake. Quanto ao resto do grupo, estão presentes os sopradores Peter Brötzmann, Mats Gustafsson, Ken Vandermark, Joe McPhee (saxofones, trompete e clarinete) e Per-Ake Holmlander (tuba), o violoncelista Fred Lonberg-Holm, o contrabaixista Kent Kessler, e Michael Zerang, na bateria e percussão. As duas Landscapes, de 44’ e 52’, respectivamente, foram executadas sequencialmente no mesmo concerto, dividido em dois sets. São trabalhos orquestrais improvisados de grande fôlego, de tal modo que ouvi-los de seguida é empreendimento que requer algum treino. O ouvinte batido neste tipo de instalações consegue reconhecer quem está a tocar o quê com relativa facilidade. Nada na música do Chicago Tentet é escrito, tudo acontece de modo espontâneo a partir da interactividade que se gera entre os músicos e destes com o público. Não é fácil suportar as descargas do tutti, quando metade do grupo sopra a plenos pulmões e a percussão lembra noites de trovoada a valer. Contudo, nem só de catarse e energia crua vive o Tentet: momentos há de relativa quietude contemplativa, como acontece nos crescendos e decrescendos, nos interlúdios entre secções, variações dinâmicas presentes nos diálogos entre saxofones e entre sopros e cordas, e na preparação de nova investida, até que a mais elevada densidade instrumental se resolve no mais puro refinamento sonoro. Um bom exemplo, entre outros, encontra-se ao minuto 42 de Landscapes 2 – a subida (ou descida) da mais infernal turbulência à delicadeza lírica e quase celestial (é autêntico!) das cordas de Kessler e Lonberg-Holm, autêntico refrigério para a alma, que se compraz em movimentos alternados de dor e de prazer.

 


<< Home
jazz, música improvisada, electrónica, new music e tudo à volta

e-mail

eduardovchagas@hotmail.com

arquivo

Setembro 2004
Outubro 2004
Novembro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Junho 2011
Maio 2012
Setembro 2012

previous posts

  • Agora, que passou a ter periodicidade irregular, a...
  • No Avant Garde Project (AGP 69 - flac), Improvisa...
  • Variable Geometry Orchestra - Stills (cs 100)
  • Steve Lacy 6, We See - Thelonious Monk Songbook.St...
  • Rodrigo Amado Quartet - Live at ZDB Gallery, Apri...
  • The Music Improvisation CompanyDerek Bailey (guita...
  • Italian genre-smashing free-form experimentalists ...
  • 1bit-wonder - 2063music.de - 23 seconds netlabel -...
  • FRANK LOWE - FRESH (LP Arista/Freedom,1975) 1. Epi...
  • HIGH ZERO 2007!

  • links

  • Improvisos ao Sul
  • Galeria Zé dos Bois
  • Crí­tica de Música
  • Tomajazz
  • PuroJazz
  • Oro Molido
  • Juan Beat
  • Almocreve das Petas
  • Intervenções Sonoras
  • Da Literatura
  • Hit da Breakz
  • Agenda Electrónica
  • Destination: Out
  • Taran's Free Jazz Hour
  • François Carrier, liens
  • Free Jazz Org
  • La Montaña Rusa
  • Descrita
  • Just Outside
  • BendingCorners
  • metropolis
  • Blentwell
  • artesonoro.org
  • Rui Eduardo Paes
  • Clube Mercado
  • Ayler Records
  • o zurret d'artal
  • Creative Sources Recordings
  • ((flur))
  • Esquilo
  • Insubordinations
  • Sonoridades
  • Test Tube
  • audEo info
  • Sobre Sites / Jazz
  • Blogo no Sapo/Artes & Letras
  • Abrupto
  • Blog do Lenhador
  • JazzLogical
  • O Sítio do Jazz
  • Indústrias Culturais
  • Ricardo.pt
  • Crónicas da Terra
  • Improv Podcasts
  • Creative Commons License
    Powered by Blogger