Image hosted by Photobucket.com
21.10.06
 


GARDEN : SPACE : BEYOND
Sei Miguel & Rafael Toral

Espaço NEGÓCIO da ZDB.
Rua do Século 9, porta 5 (Bairro Alto), Lisboa
21 de Outubro de 2006, 21h30

# # #

Em lugar de enunciarem a sequência em directo dos seus mais recentes discos, Space, de Rafael Toral, e The Tone Gardens, de Sei Miguel, os músicos optaram inteligentemente por encenar aquela apresentação, pondo ênfase na confluência dos dois trabalhos, mostrando de forma mais evidente o modo como os dois sistemas e mundos sonoros são afinal afins e tributários um do outro (movimentos Garden e Space, a que seguiria o passo seguinte, Beyond).
Transversal aos três momentos foi a percussão de César Burago, disposta sobre uma base de “dead radio” (em sintonia de chuva fina, constante e persistente), logo no duo de abertura com Sei Miguel em trompete de bolso, a trabalhar sobre diversos tons de madeira, primeiro com e depois sem surdina.
Dado o mote inicial, sucederam-se os quadros da exposição, o segundo dos quais com Rafael Toral já em palco, munido das suas luvas midi com terminais electrónicos e sensores ópticos, artefacto que faz parte do seu Space Program, com o qual explorou a dimensão espacial e visual (som e luz em movimento), com sugestões de incidência sobre processos criativos sofisticados de base electrónica. Ondas micro e macro numa interessante articulação entre o silêncio (ausência de som) e o acontecimento sonoro, temperada por amplos espaços para a respiração.
Nas peças seguintes o trio foi acrescentado de Fala Mariam, em trombone alto, e Pedro Lourenço, em baixo eléctrico. Já sem as luvas, Toral optou pelo uso alternativo de um artefacto electrónico que não sei nomear, de onde se soltavam electro-erupções plasticamente moldadas. Com a entrada do segundo sopro, a música ganhou outra intensidade e um maior equilíbrio nas formas e estados. Do gasoso inicial, passa-se sucessivamente ao estado sólido, alternando o som entre este e o estado líquido.
Este benefício resulta essencialmente do acrescento que o diálogo trompete trombone permitiu estabelecer por cima da manta intermitente da percussão minimalista de César Burago, e das linhas ascendentes e descendentes do insinuante baixo eléctrico de Pedro Lourenço, entrecruzadas pelas formas angulosas da electrónica. Daqui para afrente seria este tipo de preparo e de combustível que iria fazer propulsionar o quinteto, em regime de baixo volume e temperatura branda, até final.
Globalmente, o concerto apresentou uma unidade feita de três partes, uma proposta assaz elaborada, que se expande em sons parentes e outros afins do jazz, que na sua coerência total formam um conjunto sonoro cuja arquitectura é simultaneamente desafiante e agradável de apreender.
Há aqui um conceito deveras interessante, um pano de fundo, se se quiser, que deriva do jazz (o trompete de Sei Miguel fala as línguas de Bill Dixon, Miles Davis e Don Cherry), dele se afastou e que procura o caminho de regresso a casa. Só que, quando o encontra, já outras são as dimensões espacial e temporal, e não há como resolver o problema. Mas há que tentar, através de uma prática e de uma aprendizagem colectivas, dos músicos entre si e com o público, num todo integrado. É isso, na minha perspectiva, o que Sei Miguel e Rafael Toral têm procurado fazer. E é nessa lógica que se inscreve Beyond, a terceira figura do tríptico que se iniciara com Garden e Space – janela de onde se espreita a invenção que está para vir.
Fotos © Crista (clique para aumentar). Agradecimentos são devidos.


 


<< Home
jazz, música improvisada, electrónica, new music e tudo à volta

e-mail

eduardovchagas@hotmail.com

arquivo

Setembro 2004
Outubro 2004
Novembro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Junho 2011
Maio 2012
Setembro 2012

previous posts

  • Bela noite de música, ontem (21.10.06) no Cefalópo...
  • Ainda não ouvi New Monastery: a view into the mus...
  • Há muitos e bons motivos para prestar especial ate...
  • Começou a 19 de Outubro e prolonga-se até 5 de No...
  • Disco com risco ao meio, uma ideia da Savoy. De um...
  • Tão discreto que quase não se dá por ele, tal é o ...
  • SCREAM (The Southern California Resource for Elect...
  • Dezembro de 1973 - Outubro de 2006. Adeus ao CB...
  • Marcello Maggi_trombone Bruno Parrinha_clarinete R...
  • O novo volume da série New York Noise, da britânic...

  • links

  • Improvisos ao Sul
  • Galeria Zé dos Bois
  • Crí­tica de Música
  • Tomajazz
  • PuroJazz
  • Oro Molido
  • Juan Beat
  • Almocreve das Petas
  • Intervenções Sonoras
  • Da Literatura
  • Hit da Breakz
  • Agenda Electrónica
  • Destination: Out
  • Taran's Free Jazz Hour
  • François Carrier, liens
  • Free Jazz Org
  • La Montaña Rusa
  • Descrita
  • Just Outside
  • BendingCorners
  • metropolis
  • Blentwell
  • artesonoro.org
  • Rui Eduardo Paes
  • Clube Mercado
  • Ayler Records
  • o zurret d'artal
  • Creative Sources Recordings
  • ((flur))
  • Esquilo
  • Insubordinations
  • Sonoridades
  • Test Tube
  • audEo info
  • Sobre Sites / Jazz
  • Blogo no Sapo/Artes & Letras
  • Abrupto
  • Blog do Lenhador
  • JazzLogical
  • O Sítio do Jazz
  • Indústrias Culturais
  • Ricardo.pt
  • Crónicas da Terra
  • Improv Podcasts
  • Creative Commons License
    Powered by Blogger