Image hosted by Photobucket.com
1.10.05
 

Creation. Das portas do silêncio para cá, passa um crescente drone electrónico, pontuado por uma bateria acústica e farrapos de texturas electrónicas. Criam-se as fundações de um mundo orgânico e palpável, que evolui para um groove trespassado por uma guitarra mutante. We shall say only the leaves, verso do poema Ode to the Confederate Dead, de Allen Tate. Exploding Whales são cinco peças distintas que misturam vestígios ocasionais do post-rock e da electrónica, que ora alternam ora se confundem numa paisagem de harmonias meticulosamente trabalhadas. Melodias com sentido dinâmico e apetência para lidar criativamente com a repetição de padrões, loops e fragmentos, dão mostras de uma eficiente e discreta manipulação sonora, em particular quanto à tessitura da guitarra e do ruido electrónico. Pomme de Terre é talvez o melhor exemplo desta estreita ligação. Ocasionalmente opressiva e saturada (Tight Circumference), outras vezes fina e despojada (Cheese Slices), a música do projecto Exploding Whales, de We shall say only the leaves, colectivo com epicentro em Lisboa, fornece pistas interessantes para futuros desenvolvimentos analógico-digitais. Inúmeras pontas ficam soltas (inacabadas?) a aguardar o regresso que se deseja para breve. Oportunidade a investigar no próximo dia 5 de Outubro, na Galeria ZdB, em Lisboa, no âmbito do Cosmopolis, festival de música electrónica. A seguir.
tube'024
We shall say only the leaves
Exploding Whales


 


<< Home
jazz, música improvisada, electrónica, new music e tudo à volta

e-mail

eduardovchagas@hotmail.com

arquivo

Setembro 2004
Outubro 2004
Novembro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Junho 2011
Maio 2012
Setembro 2012

previous posts

  • JAZZ AO CENTRO - ENCONTROS INTERNACIONAIS DE JAZ...
  • Space 2005 parte 2: festival de música experimenta...
  • THE ORIGINAL SILENCE >Thurston Moore (Sonic Yout...
  • Aposto nisto!Triptych Myth, o novo trio do pianis...
  • Já se falou lá mais para trás do Programa do Tot...
  • Atenção a este mui ousado e atractivo programa...
  • É definitivo! Programa da 2.ª parte do Jazz ao C...
  • Para o fim da tarde, enquanto não soa o apito da ...
  • O longo e sinuoso risco de luz atravessa o campo a...
  • Parece-me muito interessante o trabalho que o COEV...

  • links

  • Improvisos ao Sul
  • Galeria Zé dos Bois
  • Crí­tica de Música
  • Tomajazz
  • PuroJazz
  • Oro Molido
  • Juan Beat
  • Almocreve das Petas
  • Intervenções Sonoras
  • Da Literatura
  • Hit da Breakz
  • Agenda Electrónica
  • Destination: Out
  • Taran's Free Jazz Hour
  • François Carrier, liens
  • Free Jazz Org
  • La Montaña Rusa
  • Descrita
  • Just Outside
  • BendingCorners
  • metropolis
  • Blentwell
  • artesonoro.org
  • Rui Eduardo Paes
  • Clube Mercado
  • Ayler Records
  • o zurret d'artal
  • Creative Sources Recordings
  • ((flur))
  • Esquilo
  • Insubordinations
  • Sonoridades
  • Test Tube
  • audEo info
  • Sobre Sites / Jazz
  • Blogo no Sapo/Artes & Letras
  • Abrupto
  • Blog do Lenhador
  • JazzLogical
  • O Sítio do Jazz
  • Indústrias Culturais
  • Ricardo.pt
  • Crónicas da Terra
  • Improv Podcasts
  • Creative Commons License
    Powered by Blogger