Image hosted by Photobucket.com
7.11.07
 
Em concerto no Stralau, 68, Berlim (local entretanto encerrado), em Agosto de 2003, Bertrand Denzler (saxofone tenor), Axel Dörner (trompete, computador), Daniel Erdman (saxofones soprano e barítono), Günter Müller (ipod, mini-disc, percussão e electrónica) e Michael Griener (bateria). Cinco nomes maiores da improvisação livre moderna europeia, especialistas do tratamento em directo do detalhe sonoro, exploram longas extensões horizontais que atravessam todo o espectro, tecem teia e trama de complexa urdidura, fundem sopros, sons digitais, percussão e processamento sonoro, com flexibilidade na articulação das ideias e apreciável interesse estético. A preparação desenvolve-se em movimentos de quase silêncio surgidos do nada, que crescem e se transformam em picos intensidade súbita, posto o que abandonam a panorâmica e desaparecem no espaço. A concentração e a sabedoria na gestão da mistura tímbrica versus tecitura textural, fazem o resto do trabalho, transformando o que à partida poderia parecer uma peça de difícil digestão numa viagem de interesse crescente por paisagens coloridas e variadas. O eixo principal de Stralau (2005) resulta do confronto entre as matrizes acústica e electrónica, e da aparente relação dialéctica entre elas, que se cria e resolve tanto pela via da oposição, como pela convergência, construída a partir de um elaborado equilíbrio de formas e proporções, tudo feito em tempo real, sem recurso à magia da produção em estúdio. É muito interessante observar a maneira como os cinco músicos diluem as fronteiras entre um tipo de abordagem instrumental dir-se-ia mais convencional, e outro que se poderia designar por não-idiomático (nesta acepção, o trabalho dos britânicos e veteranos AMM, poderia considerar-se o antepassado musical e ideológico directo da preparação montada em Stralau), de tal modo que questões como a de saber quem está tocar o quê, assumindo-se como um problema negligenciável, ainda assim, passa a ser de difícil resposta. Os talentosos Bertrand Denzler, Daniel Erdman e Axel Dörner, longe do tradicional papel atribuído aos sopros no combo de jazz, género que também praticam com assinalável sucesso artístico nos vários grupos em que participam, assumem aqui o discreto papel de eficientes gestores de intensidade, ao lograrem sustentar a tensão durante toda a duração da peça, a rondar a hora. Percussão sibilina e electrónica restolhante completam um quadro geral em a ilusão é quase perfeita: tremenda actividade sonora com um mínimo de notas, silêncios, sons esparsos e fragmentos angulosos intrincadamente ligados entre si, sem recurso a loops ou outro tipo de repetições – sensação de movimento constante sem sair do mesmo sítio. Grande trabalho, um dos melhores que ouvi na Creative Sources.

 


<< Home
jazz, música improvisada, electrónica, new music e tudo à volta

e-mail

eduardovchagas@hotmail.com

arquivo

Setembro 2004
Outubro 2004
Novembro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Junho 2011
Maio 2012
Setembro 2012

previous posts

  • High energy outrageous music?! Não sei porquê… Bom...
  • O projecto canadiano NADJA (Aidan Baker e Leah Buc...
  • Outubro de 1982. Derek Bailey e Cyro Baptista enco...
  • A 6 de Novembro, na High Two Records, sai um disco...
  • Pianist and bandleader Sun Ra has been both ridicu...
  • Um, dois, pelas minhas contas aí vão três do DOPO...
  • Esta semana, no Jazz on 3: Basquiat Strings (Emma ...
  • Este é para o serão. Numa volta pelas prateleiras ...
  • LE GGRIL avec Jean Derome & Les Poules PLAISTOW Lo...
  • Issue 14 - November 2007Page One: a column by Bill...

  • links

  • Improvisos ao Sul
  • Galeria Zé dos Bois
  • Crí­tica de Música
  • Tomajazz
  • PuroJazz
  • Oro Molido
  • Juan Beat
  • Almocreve das Petas
  • Intervenções Sonoras
  • Da Literatura
  • Hit da Breakz
  • Agenda Electrónica
  • Destination: Out
  • Taran's Free Jazz Hour
  • François Carrier, liens
  • Free Jazz Org
  • La Montaña Rusa
  • Descrita
  • Just Outside
  • BendingCorners
  • metropolis
  • Blentwell
  • artesonoro.org
  • Rui Eduardo Paes
  • Clube Mercado
  • Ayler Records
  • o zurret d'artal
  • Creative Sources Recordings
  • ((flur))
  • Esquilo
  • Insubordinations
  • Sonoridades
  • Test Tube
  • audEo info
  • Sobre Sites / Jazz
  • Blogo no Sapo/Artes & Letras
  • Abrupto
  • Blog do Lenhador
  • JazzLogical
  • O Sítio do Jazz
  • Indústrias Culturais
  • Ricardo.pt
  • Crónicas da Terra
  • Improv Podcasts
  • Creative Commons License
    Powered by Blogger