Image hosted by Photobucket.com
27.12.06
 
Já tinha dito que não iria alinhar um top 10 deste ano. Não porque não tivesse havido música com qualidade suficiente para o justificar; o problema releva da preguiça e da proverbial desarrumação (um disco aqui, outro ali...) e vai daí, népia, não estou para aí virado. No entanto, houve um disco (ou dois) a que regressei amiude durante o ano que ora finda: Zero Degree Music e Music Degree Zero, do Adam Lane Trio. Para meu gosto e contentamento este belo par representa por si só o que de melhor se publicou e eu ouvi em 2006, embora neste caso as gravações datem de 2005. Zero Degree...saiu ainda o ano passado.
Reproduzo abaixo o post de 27 de Outubro último, alusivo ao power trio de Adam Lane (na foto, envergando uma t-shirt dos japoneses Melt-Banana) - uma verdadeira corrente de frescura que atravessou o jazz e contribuiu para o renovar na sua dimensão transgeracional, mostrando interessantes direcções a empreender. Não quero com isto dizer que se trata do melhor entre os melhores, mas o certo é que estes dois volumes são realmente de estalo e valem também pela atitude e pela vontade de afirmar um som próprio, que tem, entre outras, a virtude de, sem sair dos eixos ou renegar a "tradição" (não falta swing nem estrutura), não macaquear o pai, o avô ou o vizinho. Irreverência, beleza, insurreição e energia. É disto que o jazz precisa.
E Vinny Golia é um grande mestre!
Por cá, louvo os esforços consequentes de Rodrigo Amado, com dois discos (Spiritualized e Teatro, oportunamente recenseados aqui no J&A), e de Alípio C. Neto, com um na rua (Snug as a Gun, para o qual tive o subido gosto de escrever as liner notes) e mais três ou quatro prontos a sair. E muitas, muitas actuações ao vivo.

"É de truz! Ou, por outra, são de truz. Dois discos inteiros resumem a excursão que Adam Lane (n. 1968) fez ao Cadence Building, da família Rusch, Redwood, NY, em Fevereiro de 2005. O contrabaixista está em franca ascensão. Trabalha que se farta e tem tido a sorte e o mérito de agradar ao público e aos críticos. Além das inúmeras colaborações que lhe têm sido pedidas, os projectos em nome próprio têm vindo a crescer em número e em qualidade: solos, duos (excelente Tandem Rivers, com o saxofonista alto Blaise Siwula); outro, mais recente, com John Tchicai, na CIMP (Dos); o quarteto com John Tchicai, Paul Smoker e Barry Altschul, que produziu Fo(u)r Being(s); a Full Throtlle Orchestra, a Supercharger Jazz Orchestra (de que saiu Hollywood Wedding na Cadence Jazz Records) e outras iniciativas entre Los Angeles e Nova Iorque.
Zero Degree Music e Music Degree Zero, é Adam Lane Trio a dobrar, com Vinny Golia, saxofones tenor e soprano, e o baterista Vijay Anderson. «We play a free swing, hard bop, avant swing similar to Mingus and Ellington on the Money Jungle record, but with a bit more of a modern feel» - sintetiza Adam Lane nas notas.
Sublinho o groove que se projecta na música do trio, e os elevados padrões de improvisação e interactividade, a que mestre Vinny acrescenta considerável valor. Esta é uma das raras oportunidades de o ouvir tocar saxofones tenor e soprano em grupos de reduzida dimensão, num registo mais próximo da tradição jazz dos instrumentos (como faz Joe McPhee no Trio X, por exemplo, ao harmonizar força física e elevação espiritual), que da new music braxtoniana praticada noutros instrumentos da família dos saxofones, e na gestão de ensembles de grande magnitude, como os que se podem ouvir e conhecer via Nine Winds. Aqui, Vinny Golia desce ao terreiro do trio de saxofone-baixo-bateria (Vijay Anderson chega bem para os dois, imaginativo nas figuras e cheio de instinto groove), cumpre genericamente as prescrições de Adam Lane, e, por entre elas, sopra que se desunha, com intenção, bom gosto e espessura sonora. Zero Degree Music e Music Degree Zero, companheiros inseparáveis, são duas obras a ter em muito boa conta. Grau Zero?! Só com grande dose de ironia".

Vinny Golia

 


<< Home
jazz, música improvisada, electrónica, new music e tudo à volta

e-mail

eduardovchagas@hotmail.com

arquivo

Setembro 2004
Outubro 2004
Novembro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Junho 2011
Maio 2012
Setembro 2012

previous posts

  • ULRICHSBERGER KALEIDOPHON 2007 Musikfestival im...
  • De manhã. Prepare yourself for the Moonship Journe...
  • Os manos turinenses Maurizio (cosmic guitar, m...
  • James Brown (1933-2006). RIP
  • Um ano sem Derek Bailey (29.01.1930 – 25.12.2005):...
  • Um serão pré-Natal (aqui ainda não chegou o politi...
  • Ei, privilegiados: Oshiri Penpenz, Nmperign + Jaso...
  • A quatrocentésima edição do Jazz on 3, da BBC Radi...
  • A associação cultural e recreativa Waldron/Lacy de...
  • What will the 24th FIMAV has in store for us all?...

  • links

  • Improvisos ao Sul
  • Galeria Zé dos Bois
  • Crí­tica de Música
  • Tomajazz
  • PuroJazz
  • Oro Molido
  • Juan Beat
  • Almocreve das Petas
  • Intervenções Sonoras
  • Da Literatura
  • Hit da Breakz
  • Agenda Electrónica
  • Destination: Out
  • Taran's Free Jazz Hour
  • François Carrier, liens
  • Free Jazz Org
  • La Montaña Rusa
  • Descrita
  • Just Outside
  • BendingCorners
  • metropolis
  • Blentwell
  • artesonoro.org
  • Rui Eduardo Paes
  • Clube Mercado
  • Ayler Records
  • o zurret d'artal
  • Creative Sources Recordings
  • ((flur))
  • Esquilo
  • Insubordinations
  • Sonoridades
  • Test Tube
  • audEo info
  • Sobre Sites / Jazz
  • Blogo no Sapo/Artes & Letras
  • Abrupto
  • Blog do Lenhador
  • JazzLogical
  • O Sítio do Jazz
  • Indústrias Culturais
  • Ricardo.pt
  • Crónicas da Terra
  • Improv Podcasts
  • Creative Commons License
    Powered by Blogger